• Entre em contato conosco: +55 (11) 4111-1353
Acompanhe-nos!

BlackBerry domina 67% do mercado corporativo na América Latina

A preferência por BlackBerry no mercado corporativo não é novidade, mas agora foram divulgados números de uma pesquisa do IDC referentes à América Latina que dão a exata medida dessa liderança. Segundo o levantamento, 67% de toda a base instalada de smartphones corporativos na região são BlackBerry. Ou seja: dois terços. Em segundo lugar vem a Nokia, com 12,1%, seguida de Apple (8,3%), Motorola (5,2%), Samsung (4,1%), LG (2,2%), HTC (1,1%), Sony Ericsson (1%) e Palm (0,3%). É importante destacar que esses percentuais se referem a todos os smartphones em serviço no momento e de posse de grandes corporações. Não estão incluídos, portanto, aparelhos pessoais usados para trabalho por executivos. Os dados foram divulgados pela RIM, fabricante do BlackBerry, em evento da empresa realizado no Rio de Janeiro nesta quarta-feira, 30.

A RIM não divulga a quantidade de assinantes que possui na América Latina. Mas no mundo inteiro são mais de 70 milhões. Somente na América do Norte a empresa tem mais de 1 milhão de usuários no mercado corporativo. Segundo a companhia, 90% das 500 maiores empresas globais na lista da Fortune são usuárias de BlackBerry.

MDM

Sobre o recente lançamento de uma solução de gerenciamento de terminais (MDM, na sigla em inglês) que abrange aparelhos dos sistemas operacionais Android e iOS, o gerente de contas estratégicas da RIM no Brasil, Renato Martins, explica que essa era uma demanda dos clientes corporativos da empresa, em razão da tendência de executivos trazerem cada vez mais seus smartphones para o ambiente de trabalho. Martins esclarece, contudo, que a solução não garante a smartphones Android ou iPhones o mesmo nível de segurança de dados do BlackBerry, apenas fornece algumas ferramentas de gestão para aparelhos de fabricantes diversos em um único portal web para os gestores de tecnologia da informação. "Para dar mais segurança teríamos que mexer nos próprios sistemas operacionais dos concorrentes, o que não é possível", afirmou.

Fonte: Teletime

TWM - Telecom Web Manager

Comentários

Comente você também